<img alt="" src="https://secure.perk0mean.com/185550.png" style="display:none;">

Desacelere para Avançar: Alcance o crescimento fazendo menos

27/mar/2020
Tempo de leitura:
Imagem Destaque

Eu sei, eu sei. Pelo título, você já deve estar pensando que sou louco ou que isso até mesmo soe como um sacrilégio aos olhos da maioria dos líderes empresariais.

Mas siga comigo, mostrarei que, na maioria dos casos, acelerar não é a resposta para obter crescimento profissional.

Em nossa experiência com clientes/ líderes e todo tipo de personalidades, descobrimos que na realidade, se suas equipes diminuem o ritmo, eles eventualmente alcançam seus objetivos mais rapidamente, com resultados mais expressivos e com melhor satisfação dos clientes e colaboradores.

Antes de entrarmos nisso, vamos investigar por que estamos tão obcecados em sempre ir rápido, rápido, rápido.

A tecnologia evoluiu e acelerou nossas vidas

O mundo mudou consideravelmente nos últimos anos, especialmente a tecnologia que nos cerca – no trabalho e em casa. Tivemos uma mudança extrema, rápida e complexa, com desafios mais difíceis. Sim, a tecnologia veio para nos tornar mais eficientes, mas adicionou uma camada extra de complexidade.

Os problemas mais simples do ontem não podem ser resolvidos com os métodos antigos. Diante disso, os líderes tendem a trabalhar mais e mais rápido para lidar com eles – o que é considerado uma virtude por muitos.

Não confunda velocidade operacional com estratégica

As empresas podem confundir a rapidez com que se movem operacionalmente com a velocidade com que se movem estrategicamente. Ver a diferença entre os dois é muito importante aqui.

Simplificando, considere, por exemplo, que você deseja chegar a algum lugar (objetivo)... indo a 200 km por hora (velocidade operacional) até chegar lá, apenas para descobrir que estava indo na direção errada (velocidade estratégica), não será bom.

Abraham Lincoln uma vez disse: "Dê-me seis horas para cortar uma árvore e passarei as quatro primeiras afiando o machado".

Em um estudo da Harvard Business Review, descobriram que: "Empresas de melhor desempenho e velocidade estratégica fizeram do alinhamento uma prioridade. Eles se tornaram mais abertos a ideias e discussões. Eles incentivaram o pensamento inovador. E permitiram-se tempo para refletir e aprender".

"Por outro lado, as empresas que se moviam rapidamente o tempo todo, focadas demais em maximizar a eficiência, seguindo métodos testados, não incentivando a colaboração dos funcionários e não se preocupando demais com o alinhamento, tinham baixo desempenho". (1) 

Para encurtar a história, concentre-se primeiro na velocidade estratégica. 

Liderança Newtoniana vs Quântica

Não querendo ser um super nerd aqui, mas os líderes, geralmente, podem ser classificados com dois tipos de pontos de vista de liderança: Newtonianos ou Quânticos.

Na visão newtoniana, os líderes tentam controlar seus resultados, adotando decisões rápidas e avançando o mais rápido possível do ponto A ao ponto B. 

No entanto, como mencionamos acima, essa visão de liderança não aborda os desafios e as mudanças tecnológicas e culturais que as empresas enfrentam atualmente.

Compare isso com a visão quântica, que é mais holística e tudo está interligado e conectado. Nesta visão, aceitamos que as soluções estejam sempre disponíveis. Só precisamos estar abertos o suficiente para vê-las. Para tal, às vezes é preciso diminuir a velocidade para encontrar essa clareza por meio de diálogos mais profundos e entender nossos desafios. Em outras palavras, estar totalmente presente, intencionais, direcionando nossa energia para as soluções que queremos alcançar.

Não é difícil ver que a visão quântica, que vem principalmente das teorias da física quântica de Einstein, abre novas possibilidades e mentalidades que proporcionam crescimento real.

Estudo da HBR revela que diminuir a velocidade aumenta os resultados

A este ponto do artigo, provavelmente para metade de vocês, entendo que isso faça total sentido. E provavelmente a outra metade esteja pensando que isso é apenas um monte de meditação sobre negócios, física quântica e sem sentido. Entendo você, mas há alguma loucura na ciência.

Então, vamos ver alguns números para ver o que pode acontecer se você decidir diminuir a velocidade para avançar.

A Harvard Business Review estudou 343 empresas comparando aquelas que foram categorizadas como "Go, go, go", na esperança de tentar ganhar vantagem e as outras empresas que "desaceleraram para acelerar".

As empresas que tentaram avançar o mais rápido possível acabaram com vendas e lucros operacionais mais baixos do que aquelas que desaceleraram em momentos importantes para garantir que estavam no caminho certo.

O mais impressionante é que as empresas que “diminuíram a velocidade para acelerar” melhoraram seus resultados com média de vendas 40% mais alta e lucros operacionais de 52% mais altos durante um período de três anos.

Reflexão final

Trabalhamos com muitas empresas e conversamos com ainda mais prospects. Nos últimos 10 anos, vimos os mesmos resultados em clientes que têm uma mentalidade de "desacelerar para avançar". Essas empresas têm visão. Eles entendem que fazer menos (ou coisas mais importantes) realizam mais, a longo prazo.

Agora não confunda isso com ser preguiçoso ou sem agilidade. Somos uma Agência de Marketing ágil, orientada por dados. Definitivamente, creditamos o sucesso de nossos clientes por conseguirmos "seguir os números" e "fazer alterações rapidamente", mas a estratégia abrangente precisa ser simplificada o suficiente para não causar um caos total ao executá-la.

Então, reflita um pouco. Você deve desacelerar ou acelerar? O que é melhor para a sua empresa? O que é melhor para seus colaboradores e parceiros? O que é melhor para seus resultados? Somente você pode responder isso.

Boa sorte.

Andre Jensen
CEO - Agência Inbound

Fonte: HBR: https://hbr.org/2010/05/need-speed-slow-down

diagnostico-b2b-inbound



Resultado da busca