<img height="1" width="1" alt="" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?ev=6021674678992&amp;cd[value]=0.01&amp;cd[currency]=BRL&amp;noscript=1">

Por que as agências digitais têm tanta fama negativa?

17/set/2015
Tempo de leitura:

Este artigo foi originalmente publicado no blog HubSpot Brasil e reproduzido aqui com permissão. Acesse o conteúdo original AQUI.

Se sua empresa já trabalhou com alguma agência digital no passado, é bem possível que você já tenha tido alguma experiência negativa (se você é uma agência digital, esse artigo também será útil para você!).

É até possível que tenha ouvido algumas histórias horripilantes sobre essa parceria, mas infelizmente, isso é uma realidade no mundo digital.

Na minha experiência como consultor de inbound marketing, escutei muitos relatos que não são nada agradáveis, e é mesmo impressionante o que uma agência fraca é capaz de fazer com seus clientes.

Certa vez, durante o meu primeiro contato com uma empresa brasileira, eles logo de cara me falaram, “Não trabalhamos com agências brasileiras! ” Respondi, “Que bom, pois somos metade brasileiros e metade americanos! Nossas raízes são bilaterais, e a cultura de nossa agência une a seriedade norte-americana com a criatividade e garra brasileira. ” Isso não quer dizer que o Brasil não tenha ótimas agências (pois tem!), mas mostra como realmente a cultura de “pagar o menos possível” por um serviço é evidente no país.

Não foi fácil, mas fechamos esse cliente! Abaixo, vou apontar os principais motivos da existência de tantas agências ruins, e de quem é a culpa, se é das agências ou dos clientes.

Veremos que não se trata apenas da economia, políticos, Dilma, Obama, o dólar... A responsabilidade é igual para agências e clientes.

Quando a Culpa é da Agência

Existem muitos motivos que explicam porque existem tantas agências ruins, mas podemos considerar 3 principais.

Agências inexperientes

Como marketing digital por natureza é totalmente online (não precisa de escritório físico ou equipamentos caros), a barreira de entrada no mercado é baixa. Lembro no começo da minha carreira como consultor, perdi alguns potenciais clientes porque o dono da empresa “tinha um sobrinho que mexe com Google e sites”. 

É uma verdade que qualquer pessoa que tem um laptop pode fazer muito do trabalho sozinha, mas como fica a qualidade desse trabalho se não temos experiência alguma?

Novas agências digitais surgem a cada semana, acompanhando o crescimento do mercado de marketing digital no Brasil bombando a um ritmo de 15% por ano – mais rápido do que a alta do dólar! 

Agências sem processos e equipe suficiente

Existe outro perfil de agência, que não é necessariamente ruim, pois tem potencial, mas faltam processos e uma equipe estruturada. Como explicado acima, este mercado de marketing digital está crescendo muito rapidamente, e por isso, a alta adesão de clientes está sobrecarregando muitos times, que ficam sem tempo e processos para crescer tão rapidamente.

Essa adesão rápida de novos clientes, apesar de positiva, não ajuda as agências. Muitas podem achar que estão crescendo, e estão! Mas não de uma forma sustentável. 

Quem vai ser prejudicado com isso? O cliente, claro. Sem processos e sem equipe suficiente, o serviço oferecido não será de qualidade, a agência não irá conseguir gerar resultados e terá muitos clientes insatisfeitos.

A única maneira de controlar isso é através de processos e uma equipe estruturada e treinada.

Falta de entendimento de negócios

Muitas agências começam com um consultor (como é o nosso caso) que atende várias empresas, mas chega um momento que não consegue atender mais. Ainda mais comum, é que esses “consultores” são muitos novos e sem muita experiência no mercado. Sim, eles sabem como fazer Adwords, SEO e e-mail marketing e etc, mas falta algo muito importante para uma virar uma agência séria de marketing digital: um grande entendimento de negócios. 

Posso falar da minha própria experiência, pois tive a oportunidade de prestar consultoria de marketing e vendas para centenas de empresas antes de começar com o inbound marketing no Brasil.

Sem esse entendimento (e experiência) trabalhando com uma enorme variedade de empresas diferentes, não teríamos sucesso com inbound marketing e nossa agência não daria certo.

Se quiser ser uma agência digital séria, procure contratar alguém com esse entendimento, ou poderá “apanhar” durante muito tempo tentando fazer sozinho!

Veja o Andre explicando como o programa de parceiros da HubSpot ajudou a Agência Inbound crescer:

Quando a Culpa é da empresa contratante (cliente)

O outro lado da moeda é a responsabilidade do cliente no sucesso das estratégias de marketing.

Como estrangeiro, apanhei para aprender que um serviço “bom e barato” tem muito valor neste país. O melhor exemplo na minha opinião é o prato feito (admito que gosto de um prato feito, mas meu único risco é minha saúde, e não o crescimento da minha empresa)! 

Aprendi isso rapidamente no meu primeiro emprego no Brasil (em uma empresa alemã, que cobra 3 vezes mais caro do que as competidoras brasileiras), que é um desafio quando existe uma cultura dominante de “bom é suficiente”.

Até me recordo de alguns clientes me dizendo que, “Entendo que esse produto é uma porcaria, mas ele pode quebrar três vezes e ainda sai mais barato do que o produto que está me oferecendo!” Explicar essa resposta para um chefe alemão foi ainda mais difícil. 

Existe certa lógica nesse raciocínio, que cai por terra quando pensamos à longo prazo. Existem custos ocultos nesses reparos. Por exemplo, quanto se compromete o faturamento para parar a linha de produção, as horas extras dos funcionários, o departamento de compras para arrumar uma nova peça com urgência, etc.

A mesma coisa acontece no mundo digital. Existem centenas de agências nesse país que fazem praticamente a mesma coisa que fazemos, porém existem grandes diferenças:

  • Eles cobram pouco, mas também entregam pouco;
  • Dão muito mais trabalho a empresa contratante (retrabalho, reuniões, extras, etc.);
  • Atrapalham mais do que ajudam;
  • Transformam o que era para ser investimento em despesas;
  • Abrem espaço para seus concorrentes te alcancem ou até mesmo ultrapassem;
  • Podem prejudicar sua marca e crescimento potencial;
  • E muito mais.

 

Essa é uma forte tendência no mundo digital, principalmente com empresas iniciantes, que têm receio sobre o que funciona ou não. O pensamento é o de minimizar o risco gastando menos e contratando uma agência menos qualificada.

Isso é uma receita garantida para o fracasso online: não ter confiança em sua estratégia ou agência escolhida. Seria melhor nem começar! 

O barato sai caro!

Aprendi alguns anos atrás com uma das melhores agências de publicidade que conheço (www.ideatore.com.br), a frase e conceito “O barato sai caro”. Apesar de óbvia, essa lição continua atual para muitas empresas.

Claro, você pode economizar um pouco contratando uma agência nova e “boa o suficiente”, mas quanto vale seu tempo? Será você quem irá precisa refazer um trabalho mal feito. 

Quanto custa a reputação da sua marca? Pois no advento de algum conteúdo ou ação ruim, será a sua marca quem irá pagar a conta. Além disso, quem contratou essa agência vai ficar “mal na fita” da empresa! 

O que você pode fazer então? 

Se você é uma agência nova, procure melhorar seus processos, crie um time que possa atender seus clientes da forma correta – mostrando resultados! Crédito extra para as que contratam funcionários mais experientes para ajudar entender de verdade os negócios. 

Se você é uma empresa contratante, recomendo que você tente entender que existem muitos custos ocultos ao se trabalhar com agências “boas o suficiente”. 

Procure agências mais sérias, experientes e quem entendam bem seu negócio. Vai fazer uma enorme diferença!



New Call-to-action

Resultado da busca

=